Adonay Echad


Seja bem vindo (a)!!!

Últimos assuntos
Bate Papo
Quem está conectado
2 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 2 Visitantes

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 57 em Seg 08 Fev 2016, 6:29 am
Parceiros



50




50








50




50



50

A justificação pela Lei

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

default A justificação pela Lei

Mensagem por Anderson de Carvalho em Sab 31 Mar 2012, 10:53 am

Shabat Shalom para todos!

A justificação pela Lei - 1ª parte


Este é um esclarecimento sobre a questão da Lei, pois na maioria das vezes que falamos da Torah, aparecem de imediato os que nos julgam precipitadamente e injustamente de crer e pregar a justificação pela Lei.

Antes de tratarmos deste assunto, cabem algumas perguntas:
Será que o Eterno entregou a Lei para que Israel se justificasse por meio dela?
Será que os que foram salvos na Antiga Aliança foram salvos por causa da Lei?
Será que a Lei tem a capacidade de justificar alguém diante do Eterno?
Será que alguém poderia ter obedecido a Lei a ponto de ser justificado e salvo por ela?
Diante do testemunho das Escrituras, as respostas para estas questões se resumem em uma única palavra: NÃO, NÃO, NÃO e NÃO!!!

Mas, por que o rabino Sha’ul (apóstolo Paulo) combateu a justificação pela Lei?
Bom, se ele combateu é porque isto existia, mesmo contrariando as Escrituras.
Cabe também outra questão: se existia esta atitude, o de querer se justificar pela Lei, onde estaria o erro? Na Lei ou no homem?
Primeiro, devemos saber que, quem deu a Lei para Israel FOI D’US, e não o homem.
E o que é a Lei? São princípios Divinos = Espirituais, manifestos através de práticas estabelecidas pelo Criador, os princípios do Reino de D’us manifestados na Terra.
É o padrão estabelecido por D’us para separar, consagrar e santificar o homem.
Porém, existe um elemento que procede do homem para que sua obediência à Lei o levasse a depender de D’us para ser justificado e salvo pela Graça = A FÉ.
É desta forma que houve salvação na Antiga Aliança.

Mas, o homem tem uma natureza pecaminosa e, além de invalidar a Aliança feita no Sinai por causa de sua desobediência e rebeldia, criou-se um sistema legal farisaico que ostentava uma pseuda-justificação diante de D’us por meio da Lei.
Esse sistema se fortaleceu em Israel e grande parte dos judeus seguia-o, que constava de hábitos/costumes que cercavam a Torah, invalidando-a.
Sendo assim, a Fé de muitos estava alicerçada em dogmas extraídos da Torah, e estes se consideravam “justos” por praticarem tais coisas.
Ou seja, as tais "obras da lei" seria a crença de que podemos ser justificados imitando os hábitos/costumes de pessoas "santas".
O termo aparece frequentemente no Talmud, porém alguns cristãos alegavam que, como o Talmud é posterior, não havia comprovação de que na época de Yeshua o termo "obras da lei" já fosse um termo conhecido em Israel, e referido a atos rabínicos para a justificação por obras.
Porém, uma descoberta arqueológica nas cavernas de Qum'ran colocou totalmente por terra a falsa premissa da maior parte da teologia cristã. Eis um dos fragmentos do mar Morto:
"Agora escrevemos para vós algumas das obras da lei, aquelas que determinamos que fossem ser benéficas a todos...
E deverão ser reconhecidas por vós como justiça, em que vós têm feito o que é correto e bom perante Ele..."
(4QMMT (4Q394-399) Seção C linhas 26b-31).

Aqui vemos os oponentes de Sha'ul saindo das páginas da Nova Aliança e se materializando como figuras históricas: aqueles que criam na justificação pelas mesmas obras da lei.
O texto de Qum'ran é uma prova histórica e clara sobre o termo "obras da lei", sendo um termo teológico conhecido e explorado muito antes da vinda do Messias. Vemos também pelo texto uma alusão ás tradições rabínicas e não aos Mandamentos de D’us.
Grupos como estes tentavam e ensinavam o povo a se justificarem diante de D’us por hábitos/costumes, "as obras da lei" foram a base para as "takanot" (emendas á Torah), feita por rabinos.

A autora judia Tracey Rich, em seu livro "Judaism 101" (o "ABC" do judaísmo), admite na seção em que descreve a lei judaica:
"A Halachá também inclui leis que não se derivam das mitsvot (mandamentos da Torah)... Uma Takaná (lei rabíncia), assim como uma guezeirá (lei de cerca), é tão vigente quanto uma mitsvá da Torah."
Vemos claramente que, ao contrário da falsa alegação cristã, Sha'ul não falava da Torah, mas de um sistema religioso rabínico.
Existe uma profecia de Isaías sobre as "obras da lei": "Assim, pois, a palavra de ADONAI lhes será mandamento sobre mandamento, mandamento e mais mandamento, regra sobre regra, regra e mais regra: um pouco aqui, um pouco ali; para que vão, e caiam para trás, e se quebrantem, e se enlacem, e sejam presos.
Ouvi, pois, a palavra de ADONAI, homens escarnecedores que dominais este povo que está em Jerusalém.
Porquanto dizeis: Fizemos concerto com a morte e com o inferno fizemos aliança; quando passar o dilúvio do açoite, não chegará a nós, porque pusemos a mentira por nosso refúgio e debaixo da falsidade nos escondemos." (Isaías 28:13-15).

O historiador Flávio Josefo afirmou que 90% das afiliações sectárias em Israel pertenciam a fariseus e essênios e em ambos os casos, a Torah (Lei de D’us) era uma fração da lei judaica.
Muitos ainda desconhecem que na época do Messias existia um sistema religioso em Israel, que se preocupava mais com a religiosidade do que com a obediência a Torah do Eterno.
Tanto é que o próprio Messias também combateu este sistema, chamando-o de “fermento”.

CONTINUA...
avatar
Anderson de Carvalho
Administrador
Administrador

Mensagens : 66
Pontos : 151
Data de inscrição : 14/02/2012

http://solascriptura.ning.com/profiles/profile/show?id=Randfal

Voltar ao Topo Ir em baixo

default Re: A justificação pela Lei

Mensagem por Diego Yo'ets em Dom 01 Abr 2012, 9:03 am

Shalom Ran...

Seu texto é muito bom, "discordo" de pouquíssimas coisas e essas coisas que "discordo" são apenas referentes aos termos usados e não a essência da mensagem, vejamos:

Diante do testemunho das Escrituras, as respostas para estas questões se resumem em uma única palavra: NÃO, NÃO, NÃO e NÃO!!!

Eu compreendi o que vc quiz dizer, contudo existe um justo quem em nada se corrompeu (eu bem sei que vc tbm considera isso), esse justo (Yeshua) só é justo pois nada transgrediu da Lei, não sendo salvo nem por sangue de animal e nem pelo seu próprio sangue, mas por uma guarda integral a qual nenhum outro foi capaz de realizar.
Nós temos que entender que quando Paulo fala que "não há um justo sequer" , na verdade é uma CITAÇÃO de um tempo anterior a Yeshua, portanto realmente não existia um justo sequer quando o Salmista o disse.

A Lei aponta uma justiça, mas para isso teria que o proceder fosse sempre igual ao do Messias, coisa que nenhum outro é capaz, sendo assim a lei é boa e o homem natural que é mal.

Mas, o homem tem uma natureza pecaminosa e, além de invalidar a Aliança feita no Sinai por causa de sua desobediência e rebeldia, criou-se um sistema legal farisaico que ostentava uma pseuda-justificação diante de D’us por meio da Lei.

Eu não usaria esse termo, porque o sistema não era plenamente farisaico, ou seja, todos os grupos religiosos daquela época deram suas contribuições negativas para que as pessoas que os seguiam entrassem no engano desses, ou seja, Fariseu errou, Saduceu errou, escriba errou, mas não podemos esquecer que alguns acertaram, portanto o problema era generalizado dentre todas as divisões de judaísmo. Paulo se mostrou como um fariseu, ou seja aquele que compreendia a existência de anjos, espírito e ressurreição. Bom, eu usaria apenas sistema religioso corrompido, pois nem há como fazer distinções ou qualificações excludentes dos demais que tbm erravam.

"A Halachá também inclui leis que não se derivam das mitsvot (mandamentos da Torah)... Uma Takaná (lei rabíncia), assim como uma guezeirá (lei de cerca), é tão vigente quanto uma mitsvá da Torah."

Aqui eu não sei se entre parentes é um grifo seu, ou se é da própria autora, mas eu daria uma nota ou acrescentaria um outro parentes explicando que halachá, são leis criadas para explicar as leis da Torah.

Crie um outro tópico, com o mesmo estudo, pois esse eu vou colocar na área de estudos fixos, onde não se pode comentar.
Shalom...

___________________________Adonay Echad__________________________________________

A Lei não salva o homem pecador, apenas ensina o menino como deve andar.
avatar
Diego Yo'ets
Administrador
Administrador

Mensagens : 594
Pontos : 843
Data de inscrição : 08/11/2010
Idade : 34
Localização : Fortaleza-Ce

http://adonayechad.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

default Re: A justificação pela Lei

Mensagem por Anderson de Carvalho em Dom 01 Abr 2012, 11:21 am

Shalom para todos!!

Diego escreveu:
Seu texto é muito bom, "discordo" de pouquíssimas coisas e essas coisas que "discordo" são apenas referentes aos termos usados e não a essência da mensagem, vejamos:

Olá irmão Diego:

Este sistema legal judaico foi baseado no que vc mesmo escreveu: "todos os grupos religiosos daquela época deram suas contribuições negativas para que as pessoas que os seguiam entrassem no engano desses, ou seja, Fariseu errou, Saduceu errou, escriba errou,..."

Claro que houve contribuições positivas, e muitas, podemos citar a escola do rabino Hillel, o rabino Gamaliel e tantos outros.

Eu até declarei em um post (não me lembro qual deles) este aspecto:

"Na Brit Hadashah, em Atos 2, aconteceu na Festa de Shavuot (Pentecostes), um novo começo para a Kehilat, firmada na Nova Aliança de YHWH com Israel (Jeremias 31).
Isto é, Israel começaria uma nova etapa firmada na Nova Aliança, através dos Apóstolos (todos judeus), e também daqueles que creram (inicialmente a maioria era judaica), tudo pela Fé no Messias Yeshua.

Os judeus que ainda não creram, continuaram se reunindo, mas era uma Kehilat que não era de YHWH, pois além deles não entrarem na Nova Aliança, ainda seguiam um sistema religioso judaico, que invalidava a Torah.
Mas, existiam muitos judeus piedosos, que não concordavam com este sistema, e serviam a YHWH validando a Torah, pela Fé, porém, eles teriam que receber a Yeshua como o Messias, para que participassem da verdadeira Kehilat, da salvação e da Nova Aliança, pela Fé neste Messias."



Aqui eu não sei se entre parentes é um grifo seu, ou se é da própria autora, mas eu daria uma nota ou acrescentaria um outro parentes explicando que halachá, são leis criadas para explicar as leis da Torah.

Não, é da própria autora mesmo.

avatar
Anderson de Carvalho
Administrador
Administrador

Mensagens : 66
Pontos : 151
Data de inscrição : 14/02/2012

http://solascriptura.ning.com/profiles/profile/show?id=Randfal

Voltar ao Topo Ir em baixo

default Re: A justificação pela Lei

Mensagem por Diego Yo'ets em Dom 01 Abr 2012, 11:35 am

Randfal escreveu: Este sistema legal judaico foi baseado no que vc mesmo escreveu: "todos os grupos religiosos daquela época deram suas contribuições negativas para que as pessoas que os seguiam entrassem no engano desses, ou seja, Fariseu errou, Saduceu errou, escriba errou,..."

Por isso que considerei que o termo "farisaico" é fora de contexto com a real situação daquele momento. Esse termo mal empregado é motivo de muita incompreensão cristã, pois o cristão tem mania de qualificar generalizando que TODOS os fariseus eram corrompidos.


Crie outro tópico, com esse mesmo estudo. Um eu quero deixar numa parte mais destacada e outro para quem quiser debater sobre o assunto.


Shalom...

___________________________Adonay Echad__________________________________________

A Lei não salva o homem pecador, apenas ensina o menino como deve andar.
avatar
Diego Yo'ets
Administrador
Administrador

Mensagens : 594
Pontos : 843
Data de inscrição : 08/11/2010
Idade : 34
Localização : Fortaleza-Ce

http://adonayechad.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

default Re: A justificação pela Lei

Mensagem por Anderson de Carvalho em Dom 01 Abr 2012, 1:07 pm

Shalom para todos!

Diego escreveu:
Por isso que considerei que o termo "farisaico" é fora de contexto com a real situação daquele momento. Esse termo mal empregado é motivo de muita incompreensão cristã, pois o cristão tem mania de qualificar generalizando que TODOS os fariseus eram corrompidos.

Entendo sua preocupação, mas o próprio Yeshua disse em Mateus 16:6: "E Yeshua disse-lhes: Adverti e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus."

E sabemos que Ele não generalizou, mas...
Realmente a teologia cristã, em se tratando de Israel, gosta de generalizar.


avatar
Anderson de Carvalho
Administrador
Administrador

Mensagens : 66
Pontos : 151
Data de inscrição : 14/02/2012

http://solascriptura.ning.com/profiles/profile/show?id=Randfal

Voltar ao Topo Ir em baixo

default Re: A justificação pela Lei

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum